“O Harvey Dent morreeeeeu! Tiraram o pinto dele foraaaa!”

Não adianta ragazzos. Dificilmente um terceiro filme de trilogia sai melhor que os anteriores. Até a trilogia do Don Corleone sofre disso. Tem casos até em que saem piores (Karate Kid 3, Homem-Aranha 3, X-Men 3), mas felizmente esse não é o caso de “O Cavaleiro das Trevas Ressurge”. Não achei melhor que o anterior, mas é um baita filme, que tem conexão direta com o primeiro e põe um belo ponto final (será?) na saga do morcegonne.

“Quer pegar de pau pega porra, mas depois aguenta as consequêeeencias!”

O problemas dos “terceiros filmes” é que normalmente eles são os últimos filmes da série (por que o povo inventa de fazer trilogias em vez de “tetralogias” ou “pentalogias” eu não sei) então tem um monte de perguntas que surgiram durante a saga e que precisam ser respondidas e tal, o que compromete um pouco o andamento do filme e pode deixá-lo meio cansativo. No caso desse “O Cavaleiro…” em vários momentos os personagens ficam dando explicações e falando bastante tempo (o que me lembra um quadrinho do Aragonés em que ele sacaneia as HQs de herói, só que da Marvel). No entanto, o filme não é enfadonho, mesmo tendo mais de duas horas e meia de duração.

“De onde você tirou aquela merda”
“Lógico que foi do cu! Podia ser de mais aonde?”

Isso porque o bambino Nolan é esperto. Ele bota esse monte de fala nos personagens, mas também enfia umas sequências de ação no meio que, DIO MIO! Daí tu não cansa e não vê as duas horas e pouco de filme passarem. O trabalho dele  pode ser comparado com o de um ilusionista, como fez o Ramon Vitral aqui. Te mostra uma coisa ordinária, transforma aquilo em algo extraordinário para depois TCHANAMM!!! fazer o grande truque (seguindo essa lógica, faz todo o sentido a história do Batman ser contada em uma trilogia)

“Devia ter usado um spray para tirar seu pinto fora”

E o que dizer dos personagens? Finalmente fizeram um Bane decente. Ele não fala várias línguas igual o personagens dos quadrinhos, mas porca miséria, quem disse que ele precisa? O cara é grandalhão, articulado e faz um discurso estilo militante do PSTU! Segundo o bambino Júlio César é o Lênin que deu certo, o Stalin que não bebia. Quando ele fala de devolver Gotham ao seu povo eu confesso que comecei a torcer um pouquinho por ele (Passou, passou, passou…).

“Cês qué que o Bátima venha pegar vocês, salvar vocês!”

 E todas as cenas em que aparece são grandiosas, desde aquela baita abertura com os terroristas “picotando” o avião, passando pela destruição do campo de futebol americano e culminando com as cenas em que ele enfrenta o morcegonne, uma com água pingando e a outra com neve caindo. Só acho que ele merecia uma última cena mais digna (Chega! NADA DE SPOILERS)

Você devia se envergonhar de usar o nome Bane!

Quanto aos outros personagens, se nos outros filmes o Bruce Wayne fica sozinho, neste filme ele se envolve com duas donna. Uma é a tal de Miranda Tate, que é toda boazinha, idealista e o caramba e outra é a Selina Kyle que faz ele de GATO e sapato (pegaram, pegaram? GATO e sapato! Hehehe…he…he… deixa quieto). Roubar o Bruce é a coisa mais leve que ela faz com o ricaço. Ela sacaneia o ômi mais do que a Mulher-Gato da nostra fotonovela, mas há uma reviravolta nessa relaçione (De novo, SEM SPOILERS)

“Meu Deus! eles não são sustentáveis!”

“Tá na hora d`eu ir embora já!”
“Você não vai embora não, sua biscate!”

Colocaram também um policial orfão, bastante correto e com muito senso de justiça para ajudar o Bruce Wayne (lembra quando ele falava que a função do Batman era inspirar as pessoas?) e um personagem para o Matthew Modine que só serve para falar que vai prender o Batman e correr do pau na hora que o Bane  e seus guerrilheiros tomam conta da cidade.

O Matthew Modine vestido de mulher é menos ridículo que o personagem dele no filme
“Porra, isso aqui não é maconha!”

O policial é interpreatado pelo Joseph Gordon-Levitt, que é uma espécie de Heath Ledger sem fermento (inclusive fizeram um filme juntos 10 coisas que eu odeio em você”). O cara manda tão bem que vai fazer agora um “Operação França das bicicletas” (Proj. @oimperador)

“Tá vendo isso aqui, meu fí? É um documento que prova que o Bátima é viado!”
“Viado? Como assim viado, porra?”

Vale destaque também a parte do julgamento promovido pelo Bane com o Espantalho de juiz (O Cillian Murphy deve dar o (_*_) para o Christopher Nolan, não é possível! ELE TÁ EM TODOS OS FILMES DO BÁTIMA e em “A Origem” também! Abre o olho dona Nolan!). Um julgamento a lá “Revolução Francesa” só que sem guilhotinas. Teve gente que enxergou um toque de Kafka (o escritor, não a barata) no negócio. Se bobear a Veja vai querer que o julgamento do Mensalão seja no estilo desse aí

“O que prefere, Sr. José Dirceu?”

Enfim, o som é foda, a direção de arte é foda, as cenas de ação são foda e a cena do Alfred tentando convencer o patrão a não usar mais a roupa de morcegonne quase me levou as lágrimas. Só um cara que já contracenou com Pelé e Sylvester Stallone no mesmo filme para me causar isso.

Vou fazer essa mesma cara quando for pedir dinheiro emprestado

Cotação: 8,5/10 cabeças de cavalo.

P.S.1: Segundo o Renzo Mora a conclusão desse filme foi inspirada em uma sequência do filme do Batman de 1966.

P.S: 2: O site IGN fez uma puta comparação entre “O Cavaleiro das Trevas Ressurge” e as sequências de Rocky. Muito bom!



Fontes:

http://screenrant.com
http://www.post-gazette.com
http://rvonb.blogspot.com.br/
http://www.joblo.com/
http://tvdinnerandamovie.com/
http://theamericannewwave.blogspot.com.br/
http://insidemovies.ew.com/
http://aglomeradonews.com.br/
http://forums.penny-arcade.com/
http://www.ign.com/
http://bdmarveldc.blogspot.com.br/
http://agentjazzy.tumblr.com/
http://ciakomus.blogspot.com.br/
http://omelete.uol.com.br/

Advertisements