Antes tarde do que nunca! Eu sei que já está meio tarde para falar de Olímpiadas, mas é que o bambino Batman me tomou um pouco o tempo nessas semanas. Mas creio que ainda dá tempo de soltar uma listinha de filmes sobre Olimpíadas ou sobre esportes que você só acompanha de quatro em quatro anos   (ginástica, atletismo etc…). Nessa lista nós temos dois filmes óbvios, duas tosqueiras e um “intruso”. Vamos lá:


Carruagens de Fogo (1981; de Hugh Hudson)

Esse é tão óbvio que até o Mr. Bean deu uma esculhambada nele na abertura das Olimpíadas deste ano. É mais um caso de filme cuja música é mais famosa que o filme em si (em breve uma lista com esses filmes). Todo mundo conhece a música do Vangelis, mas um ou outro ragazzo viu o filme. É a história de dois corredores britânicos que disputam os Jogos Olímpicos de 1924 em Paris, um cristão e um judeu. Engraçado é que filme com judeu sempre faz sucesso no Oscar (Esse ganhou 4 Oscars e foi indicado para mais 3). Mais que filme de italiano (a não ser os do Padrinho). O próximo filme também é um drama olímpico com judeus (em tempo: Não sou anti-semita. Os judeus são os melhores comediantes).

Munique (2005; de Steven Spielberg)

Este aqui mostra uma caçada aos membros do grupo terrorista Setembro Negro que vitimaram  11 atletas israelenses durante as Olimpíadas de Munique em 1974. Foi indicado a 5 Oscars (incluindo melhor filme). É por essas e outras que não acredito que o Brasil ganhará um prêmio da Academia. Se depois de indicarmos dois filmes com judeus para o prêmio de “Melhor Filme Estrangeiro” nós não conseguimos nada (“Olga” e “O ano em que meus pais saíram de férias”), acho que não conseguiremos nunca (tá bom que os filmes também não eram tão bons assim né…)


Jamaica abaixo de zero (1993; de  Jon Turteltaub)

Ok, esse é um filme que se passa nas Olimpíadas de Inverno (mais precisamente nas de 1988 em Calgary, Canadá), mas mesmo assim é um filme que fala sobre superação, sobre vencer as dificuldades, sobre participar dos jogos mesmo sem ter quase nenhum apoio (mais ou menos o que diz os atletas brasileiros de qualquer modalidade olímpica, exceto o futebol), que o importante é competir etc. Acabou ficando mais famoso por ser um dos últimos filmes estrelados por John Candy do que por ser uma comédia bacana. Se passa em boa parte na Jamaica, terra dos rastafáris, que, segundo João Gordo SÃO OS JUDEUS DA JAMAICA. Olha os judeus aí de novo!


Pentathlon (1994; de Bruce Malmuth)

Baita filme de ação com o “mercenário” Dolph Lundgren. Depois de ganhar uma medalha de ouro no pentatlo em Seul/88, um atleta da Alemanha Oriental (o suecão sempre fazia papel de quem nasceu em país comunista: URSS ou Alemanha Oriental) resolve fugir para os EUA para escapar do regime comunista, mas acaba sendo perseguido pelo seu ex-treinador. Como o ragazzo é atleta do pentatlo, então ele sabe muito bem correr, nadar, saltar à cavalo, usar a espada e atirar muito bem e consegue fugir do farabutto. Não me lembro de judeus nesse filme(CORREÇÃO: TEM JUDEUS SIM! O Dolph Lundgren tem que salvá-los no final do filme!). Tudo bem, é um filme de ação meio tosco, mas não é pior que o próximo.

Gimkata (1985; de Robert Clouse)

Um dos filmes mais picaretas da história do cinema dirigido por um dos caras mais picaretas da história do cinema. Para quem não sabe, Robert Clouse (irmão perdido da transexual Roberta Close), pegou umas cenas que tinha gravado com Bruce Lee antes de morrer, pegou cenas de outros filmes do china, USOU CENAS DO VELÓRIO REAL DO CARA colocou um capacete de moto num dublê (para ninguém ver que é dublê em vez do Bruce Lee) e fez um filme (“Bruce Lee no jogo da morte”).
Desta vez ele pegou um cara que não era ator (o ginasta Kurt Thomas, que ganhou vários campeonatos de ginástica, mas nunca participou de uma Olimpíada), inventou um tipo de luta que mistura ginástica olímpica (!!!) com karatê e fez um filme em que o bambino vai para o Parmistão (!!!!!) participar de um jogo em que o prêmio é escapar com vida (mais um remake de “The Most Dangerous Game”). UMA BOSTA, MAS DIVERTIDO! Há uma crítica mais especializada do filme no “Filmes para Doidos”. Kurt Thomas foi indicado ao “Framboesa de Ouro” como pior estréia em 1985 (perdeu para Brigitte Nielsen por “Rocky IV” e “Guerreiros do Fogo”). Esperamos que o governo brasileiro não invente de botar o Artur Zanetti ou o Diego Hipólito para treinar karatê.

Esqueci de algum filme? Comente!

Fontes:

www.imdb.com
http://filmesparadoidos.blogspot.com.br/2011/02/gymkata-o-jogo-da-morte-1985.html

Advertisements