<!–[if !mso]>st1\:*{behavior:url(#ieooui) } <![endif]–>

Amicci, assim como na vida, no cinema há molta injustiça. Se mesmo o Cidadão Kane, que por molto tempo foi considerado o melhor filme de tutti tempo, só ganhou dois Oscar à sua época, o que dizer de otros filmes menos badalados. Nostro amicco Schwarzenegger sofreu injustiça por duas vezes. Uma foi quando fez “True Lies” e a outra, um ano antes quando lançou este “O Último Grande Herói”. Os pazzos que tinham que fazer o marketing deste filme nonsouberam vender a película, o que fez com que nem público nem crítica se dessem conta do quanto é gran este trabalho. Seu reconhecimento só vem agora, quase 20 anni depois de suo lançamento.

Molto antes de Simon Pegg, Nick Frost e Edgar Wright começarem a brincar de metalinguagem e fazerem filmes citando otros filmes, John McTiernan (diretor de “O Predador” e “Duro de Matar”) e os roteiristas desse filme já desenvolviam isso com maestria. Enquanto Tarantino começava a fazer filmes assim, Schwarzenegger já estrelava uma obra que já usava referências e satirizava outras obras pelo menos unos 10 anos antes de isso começar a virar moda.

  No filme, uno bambino solitário (Austin O’ Brian, que foi o namoradinho da protagonista de “Meu Primeiro Amor 2”), que mora com um dos pais apenas e é viciado nos filmes de um herói de ação em particular (“Unidos para vencer” mandou lembranças, viu bello?) consegue um ingresso dourado (“A Fantástica Fábrica de Chocolates“?) que faz com que ele entre no filme e participe ativamente da história. Já pensou, amicco, você entrar no “Cilada.com”e falar na cara do Bruno Mazzeo que ele é ruim e só é famoso por que é filho do Chico Anysio?

Porém, como se trata de uno filme (algo que nos é lembrado a tutta hora pelo tal bambino) essa brincadeira tem uma conseqüência negativa: o canhoto do ingresso vai parar nas mãos do vilão e ele usa para escapar para o mundo real (“mundo real” dentro do filme, né? Per que é uno filme dentro do filme, molto antes do Chris Nolan colocar um sonho dentro do sonho nos filmes), onde pode cometer seus crimes de forma mais impune e atirar nas pessoas sem que dois segundos depois se ouça uma sirene ou alguém chame a policía (isso per queele foge para Nuova Yorque. Imagina se ele foge para o Rio?)

Per uno lado esse é um filme de ação comum: Tem uno personagem carismático, mas que combate o crime de forma pouco ortodoxa e sem ligar para as conseqüências dos seus atos, um bambino esperto como ajudante (cuja presença NON foi solicitada), uno chefe de polícia que tenta frear sem sucesso as ações do herói, pessoas com quem o herói se importa e que vão servir de reféns, unoparceiro traíra, mafiosos (desses eu gosto) e vilões marcantes que, praticamente, roubam a cena quando aparecem. Explosões, tiros, perseguiçonnes e falas engraçadas: tutto está lá!

 
Per outro lado, esse NON é uno filme de ação. Os clichês que normalmente constroem os filmes de ação estão aqui para serem desconstruídos, pois trata-se de uma sátira.A tutto momento, o bambino tenta convencer Jack Slater (o personagem de Schwarza no filme) de que ele está  em uno filme, e só consegue isso quando finalmente eles “quebram a quarta parede” e caem no “mundo real” (a propósito, quantas paredes são quebradas na abertura do “filme dentro do filme”?)

   
O moleque chega a ser insuportável tamanha a sua interferência dentro do “filme”. Ele questiona tutto. Per que non há mulheres feias andando na rua? Per que Jack Slater non consegue dizer unopalavrão? (a classificação etária non permite) Per que o vilão conta seu plano para os heróis em vez de matá-los de uma vez? Per que as armas nunca descarregam completamente? Etc.

No filme há moltas referências a otros filmes, principalmente do Schwarzenegger. Só o fato dele defender a tutto tempo unobambino esperto é una referência clara a “Exterminador do Futuro 2“. O fato dele ter una figlia e defendê-la também é uma referência à “Comando para Matar”. Danny DeVito, que fez par com o Carvalho Austríaco em “Irmãos Gêmeos” e, posteriormente, retomaria a dupla em “Júnior” (ESSE SIM, UNO FILME RUIM), é quem dubla o personagem de desenho animado que trabalha no Departamento de Polícia de Los Angeles. James Belushi, que foi parceiro de Schwarza em Inferno Vermelho”faz uma pequena particpação nesse filme também.

Desde “E.T.” até “Duro de Matar“, passando por “Instinto Selvagem“, “Serpico”, “Amadeus”, entre outros, vários filmes são citados tanto no “universo do filme” como no “mundo real”, muito antes do Tarantino transformar isso em moda definitivamente, no começo dos anos 2000. A parte do “Hamlet” é fantástica!
Mesmo as seqüências que não são inspiradas diretamente em um filme são fantásticas. De longe as melhores são: A batida na casa do primo de Jack Slater;
A seqüência de luta entre os vilões, Jack, sua filha Whitney (Bridgette Wilson, que depois faria a Sonya Blade, em Mortal Kombat) e o bambino;
 
O funeral de um mafioso aliado do vilão (cuja alcunha é “Leopeido” e que teve o bucho “recheado” de gases paralizantes formando uma bomba química acionada pelo famoso “puxa meu dedo”);
E principalmente, a teoria do vilão Benedict;
 
 
Não bastasse tutto isso, o elenco é matador. Além dos já citados, trabalham também nesse filme Anthony Quinn, como o chefão mafioso Tony Vivaldi, Charles Dance (vilão de “O Rapto do Garoto de Ouro” e “Ali G Indahouse”) como Benedict, o assassino profissional com uma coleção de olhos-de-vidro, Tom Noonan (vilão de Robocop 2) como Ripper, o ceifador maluco e deformado, assassino do filho de Jack, F. Murray Abraham (o “assassino de Mozart” que é, obviamente, o traíra do Departamento) e uma participação mais do que especial de Sir Ian McKellen, antes de virar “modinha”, fazendo o papel da Morte (O que é fazer o papel de Gandalf e Magnetopara quem já foi A MORTE, mios signores! Explêndido!)
 
Além disso, o filme antecipa algo que foi o mote principal desse nuovo filme dos “Mercenários” e que afinal é o motivo dessa “Maratona”: O encontro entre Schwarzenegger, Stallone e Van Damme.
Bem… não exatamente um encontro, mas os dois estão lá presentes. O Stallone em um pôster alternativo de “O Exterminador do Futuro 2…”
 … e o Van Damme na premiére de “Jack Slater IV“, o filme dentro do filme…
… sem contar o breve “reencontro” entre Schwarza e o “T-1000” em uma cena do filme. (a propósito, quem se lembra de outro papel do Robert Patrick que não seja o T-1000?)

Depois de descobrir tanta cosa buona a respeito desse filme dá raiva lembrar que ele foi considerado uma BOMBA quando foi lançado e que foi indicado a 6 prêmios do Framboesa de Ouro, incluído o prêmio de pior roteiro (o que só reforça o fato de que esse prêmio é tão injusto quanto o Oscar, basta lembrar que até filmes bons como “O Ano do Dragão” já foram indicados). O caso é que assim como True Lies, esse filme foi ERRONEAMENTE vendido com se fosse uno filme de ação comum, cosa que ele non é! É bem maior do que isso e  non foi bem compreendido na época. Só na última década depois de ver otros filmes satíricos como o excelente Chumbo Grosso que a gente tem idéia de quanto O Último Grande Herói é genial. Além disso colocaram o filme para estrear no mesmo fim-de-semana que “Jurassic Park”. Não tinha como dar certo.

Uno dos responsáveis pelo argumento que deu origem ao roteiro desse filme é Zak Penn, que já escreveu o argumento de filmes geniais como o divertidíssimo “Os Vingadores” como também de VERDADEIRAS bombas como “Elektra” e “X-Men 3 – The Last Stand“. 

“Paga pau pra eu, seus porra!”
 Otro roteirista é Shane Black que foi responsável pelos roteiros de “Máquina Mortífera”, “Deu a Louca nos Monstros” e “O Último Boy Scout” 
Ele também é o trouxa que conta piadas ruins em “O Predador”
 Para terminar (antes que eu babe no teclado), mas unoaspecto maravilhoso desse filme: A trilha sonora! AC/DC, Alice In Chains, Anthrax, Aerosmith (uma música antiga, nada de baba), Cypress Hill, Tesla, Megadeth, MOZART entre outros. Bem que “Mercenários 2”poderia ter uma trilha assim, hein?

Cotação:
8,5/10 – BIG MISTAKE!
Fontes:
Advertisements