Certa vez ouvi alguém me dizer que filme ruim non é necessariamente um “Crepúsculo”da vida ou cosa parecida. Filme ruim mesmo é aquele que decepciona até mesmo quem, em tese, deveria ser o seu público cativo, capisce? Um filme que nem consegue entregar ao seu espectador aquilo que promete. Felizmente esse non é o caso deste “Mercenários 2”. Embora ainda fique devendo um poco, o filme tenta trazer exatamente aquilo que o povo espera desde o primeiro filme: Mais Schwarzenegger, mais Bruce Willis, Chuck Norris, piadas e principalmente, Van Dammecomo vilão da história.

Dê a eles aquilo que querem
Se digo que o filme sai devendo um poco, não é porque sou um cobrador impiedoso ou per que o filme é uma porquería, longe disso. O caso é que aqui a intensidade da ação tem mais valor que a sua duração na tela. Quem esperar que Schwarza e Bruce Willis apareçam o tempo todo, vai se decepcionar, pois até o último terço do filme eles mal aparecem em cena. Chuck Norris então só aparece em último caso, mas quando TODOS estão em cena… Dio Santo!!! Rola mais tiro nesse filme do que no carro do Sonny Corleone, mia Nostra Signora!
Esse dia foi foda!
É como se o Stallone nos convidasse para um churrasco especial na casa dele, com a presença dos amigos que non puderam vir no primeiro. E no meio desse churrasco rolasse umas brincadeiras bestas, como só rola em churrasco que tem mais homem que mulher. Só que nesse caso as brincadeiras são “Piñata Humana” (onde você “recheia” o cara de “bala” em vez de esvaziar), “Arranca a cabeça do burro”, “Morto ou morto” e cosas do gênero.
“Dá um ligo nesse maluco aqui! Hahahahahahahahaha”
“EU TENHOS TRÊS EMPREGOS, PORRA!”
A propósito, quando sair o DVD desse filme, você pode fazer um “drinking game” em que você e suos amigos bebem toda vez que alguém diz uma frase de efeito ou o Stallone solta uma piada típica sua (desta vez sem macacos) ou quando ele e o Jason Statham falam de relacionamentos.
“Se cagou todo, baitola?”
Aliás esse é um típico filme do Stallone. Não só as piadas toscas estão lá como também a violência como solução dos conflitos (tanto da profissão quanto pessoais), o momento sentimental, quando alguém muito próximo morre ou se afasta momentaneamente (non é SPOILER, non contei o que acontece) e isso serve de combustível para a sua missão (Mickey em “Rocky 3”, Apollo em “Rocky 4”, a japinha em “Rambo 2”, a esposa dele em “Falcão”…) e também a presença da parceira, de quem ele duvida da capacidade no começo, mas depois vai se envolvendo, às vezes, de forma mais íntima (a japinha da Julia Nickson em “Rambo 2”, a Lenina Huxley de Sandra Bullock em Demolition Man, a Ingrid de Brigitte Nielsen em “Cobra”…). Neste filme esse papel cabe a chinesinha Maggie (Nan Yu). Mesmo que você não saiba que o Stallone tem participação no roteiro, você consegue deduzir isso facilmente, caso conheça bem a carreira dele.
“Tô afim de uma comida chinesa.”
“Ih! Lá vem, bicho! Puta merda!”
Mas o Sly non é um anfitrião chato, que fica falando de si o tempo todo. Ele também dá espaço para os amicci. O Schwarza assim como em “O Predador” e O Último Grande Heróitá de charutão na bocca e diz as falas que são características dele (“I´ll be back”…), o Chuck Norris é reverenciado como o homem dos Chuck Norris facts (e só aparece na hora certa, tipo o Ikki de Fênix em “Cavaleiros do Zodíaco” ou o Wolverine em “X-Men”, afinal ele é o “Lobo Solitário”), o Terry Crews é o homem das armas barulhentas (e de novo está muito engraçado aqui), o Stataham é o homem das facas etc. Até tem uma citação a uma fala do Bruce Willis em “Duro de Matar” (“yipeekayee”): , mas ele também manda muito bem no filme.
“Ouvi dizer que você foi mordido por uma cobra Naja, é verdade?”
“Sim, depois de 5 dias agonizando a cobra morreu.”
Quanto ao Van Damme, ele pode estar meio vecchio para dar espacato, mas ele ainda dá aquelas suas voadoras características (e desta vez non mostra a bunda). Se ele teve tanta frescura para participar do primeiro filme, desta vez non tem do que reclamar. Seu personagem aparece poco, mas quando aparece non é para brincadeira. Seu vilão está num nível de canalhice maior do que a de seu anti-herói em “Até a morte”e tão marrento quanto seu primeiro vilão, Ivan Kraschinsky de Retroceder nunca … Render-se jamais. Aliás seu nome na trama podia ser Kraschinsky, já que o do Chuck Norris é Booker (nome de seu personagem em Os bons se vestem de negro de onde Sly chupinhou algumas idéias usadas em “Rambo 2”)
“Puta merda, é a Gretchen!”
Para non dizerem que eu só lambi as botas desses farabuttos, vou reclamar de una cosa aqui: A última cena de luta podia ser mais longa. CÁSPITA! É una luta que a gente esperava desde 1993! (Paro por aqui!)
Agora é só esperar para ver quem vai estrelar “Mercenários 3”. Será que vão tirar Mr.T, Carl Weathers e Hulk Hogan do asilo? Será que o Steven Seagal vai esquecer as brigas com a produtora Millenium Films e entrar na roda? Ou quem sabe Wesley Snipes (se sair da cadeia), ou melhor, Liam “Ra’s Al Ghul”Neeson resolva quebrar alguns braços? Qual a sua sugestão, bello?

Cotação:
8,5/10 cabeças de cavalo – Vale pelos últimos 30 minutos.
Fontes:
Veja também:



Advertisements