Existiu uma época em que o cinema do Brasil se sustentava graças aos filmes infantis e aos filmes adultos (“adultos” no mesmo sentido que a gente diz “canal adulto”). Os Trapalhões e Sérgio Mallandro se encarregavam dos primeiros, David Cardoso e Matilde Mastrangi dos outros e a Xuxa já fez os dois. Daí com a entrada mais forte (sem malizia, per favore) dos “enlatados americanos” (uno abraço Dr. Protógenes) e a substiuição dos cinemas de rua pelos de shopping  (e o encarecimento dos preços) houve una mudança no perfil dos filmes nacionais (favela movie e sertão movie), embora ainda se façam filmes infantis. Esse “Super Colosso” foi una tentativa de capitalizar em cima de uno sucesso da época, mas acabou se tornando uno filme ruim para cachorro (PEI – Piada Extremamente Infeliz, scusa!)

Apesar de ter Laerte Coutinho assinando o roteiro, “Super Colosso” non faz jus ao talento do cartunista. Além disso, o elenco muito jovem (composto basicamente por “jovens promessas” e alguns atores mais experientes) parece pouco à vontade de contracenar com bonecos de espuma (justiça seja feita, deve ser meio estranho mesmo. Faz tempo que não vejo uno filme dos “Muppets” para fazer una comparação) e acaba arrumando sarna para se coçar (scusa!).

Pulguentos

O filme começa com o “Supercão/Gilmar das Candongas” tentando resgatar uno artefato conhecido como a “Arma Secreta de Catxonga”, mas ela acaba caindo nas mãos dos criminosos disfarçados de múmia e, até certo momento, anônimos. Em certo momento Supercão pergunta para o “Bullborg” quem é a “Família Furtado”. Em que momento anterior do filme foi mencionado o nome da família? Não percebi isso no filme não. É algo que parece surgir assim do nada. É um baita dum furo.

O que se espera de uno super-herói é que, una vez que tenha falhado em sua missão, ele tente consertar as cosas, mas non! Simplesmente o nosso Gilmar se esquece da arma secreta de “Catxonga” e se concentra em arrumar um troféu para a gincana do “Dia do Cachorro” organizada pela “TV Colosso”. Afinal de contas, uma gincana besta é mais importante que una “arma secreta que pode cair em mãos erradas”. Prioridade é tudo.

Otro herói inútil nesse filme é Rafael (Marcelo Serrado) funcionário do museu de onde é roubada a estátua do “Cão Pensador” (!) de “Cachorrodin” (!!!). O sumiço da obra faz com que o ragazzo fique desesperado e não pense em otra cosa senão recuperar o artefato. Fica tão concentrado nisso que não percebe que Alice (Luana Piovani) está lhe dando bola. Em dado momento ele se vê frente a frente com uma versão miniaturizada da estátua roubada do museu (A famiglia Furtado encolheu-a para que ficasse mais fácil “roubar e poder carregar”), que acabou indo parar nas mãos de Gilmar, que a usa como troféu da ginacana. Ora, se ele tá tão preocupado com o sumiço da peça, o mais sensato era ter explicado de onde vem a estátua e ter tomado ela dos cachorros, só que não.

Algum chato irá dizer: “Mas aí não iria ter filme, né?” OK, mas deveria haver una explicação razoável para o ragazzo não pegar a estátua de primeira, nem que fosse ele pensando “como vou pegar essa estátua sem estragar a gincana dos cachorros”, algo do tipo, mas não. O espectador fica vendido nessa, e não me venham com essa de “é uno filme para crianças”, porque eu já vi filme dos Trapalhões com mais lógica e menos furos do que esse aí.

Se o Rafael não conseguiu pegar a estátua a tempo, depois não conseguiria mesmo, pois colocaram o facínora “Paulo Paulada” para tomar conta do prêmio. Os Furtado se vêm obrigados a se disfarçar de famiglia “cangaceira” para se inscrever na gincana e sabotar as otras equipes para assim conseguir pegar a obra. Alguém aí pensou em “Corrida Maluca”? A partir de 5:07:

Na verdade nem precisaria a famiglia fazer tanto esforço assim, pois as otras equipes são tão burras que jamais conseguiriam se dar bem na tal gincana. Em una das cenas mais ridículas da história do cinema brasileiro, depois do sequestro do galo que canta rock por parte dos Furtado, para cumprir uns tarefa da gincana, a equipe de Gilmar das Candongas veste “Thunderdog” e “Thunderbird” de galos (Nota do Editor:   Luiz Thunderbird era tão relevante para a cultura pop dos anni 90, QUE INSPIROU UM PERSONAGEM NA TV COLOSSO). Nenhum otro personagem do programa é diretamente ligado a uma pessoa do mundo real. Em 7:00:

“Ficar em casa, lendo Batman e Mad/Escutando só Ramones, Motörhead…”
A Soninha Francine já dirigiu um clipe do Thunderbird:


Uno destaque: otra que entra para o time dos inúteis é Camila Pitanga. A única função dela no filme é servir de par romântico para o Gilmar. Sim, amicci! A estréia de Camila Pitanga no cinema foi como NAMORADA DE UM CACHORRO VIRA-LATA. Se bem que ela já fez par com galãs mais estranhos que esse. A partir de 4:07:

Mas ninguém supera a inutilidade do personagem do Marcelo Serrado. TODOS  os momentos de heroísmo dele são frustrados. Quando ele rouba a arma do marciano (Na verdade o Sr. Furtado vestido de ET e usando uno SECADOR DE CABELO PRATEADO)  e não consegue usá-la e quando ele resolve brigar com os Furtados e é mais uma vez nocauteado com um gás (já tinha sido no ataque ao museu). Na verdade, nem o Supercão consegue cumprir seu papel de herói, uma vez que quem desarma “A Arma Secreta de Catxonga” (Nada mais que o “Vira-Lata de Aço” um Paulo Paulada com superpoderes) é a cadela Priscila, que quase mudou o nome do filme para “A cusada de morte”(scusa!)

Para completar a bizarrice: A diretora do museu e cúmplice dos Furtado (Ilana Kaplan, a professora de música desse nuovo “Carrossel” do SBT) termina devorada por “pulgas canibais” (!!!) e Castilho (cachorro galanteador da TV Colosso) e Rafael são alvejados pelas flechas dos “cupidos” (um deles o saudoso Gerson “John Wayne” de Abreu, o “Agente G”), mas eles “trocam” de par. Castilho “xaveca” a personagem da Luana Piovani e o Marcelo Serrado dá em cima da cachorra (a Priscila).

Por mais que TV Colosso fosse uno baita sucesso é de surpreender que alguém pagasse para aparecer nesse filme. E é uno merchandising escancarado como podem ver abaixo:

Sukita
Farinha Láctea Nestlé

Uno aspecto curioso desse filme é o visual da D. Jóia Furtado (Débora Olivieri, que fez “Chiquititas”), que parece ter sido inspirado por duas “vingadoras”: A “vingadora da Marvel” Viúva Negra e Emma Peel, a “vingadora” do seriado de TV inglês “The Avengers” (nada a ver com a equipe da Marvel Comics), que na TV foi interpretada por Diana Rigg e no cinema pela Uma Thurman.

Otro momento de inspiração acontece no show da Priscila. Preste atenção na música que começa em 6:43:

Agora ouça Borderline da Madonna:

Eu não sei se impressão minha, mas eu achei a parte do “pula, pula, pula que ninguém conseguiu ganhar (conseguiiiiiiiiiiiiiiiiiiu ganhar)” muito parecida com “You just keep on pushing my love over the borderliiiine (borderliiiine)”

Curiosamente a dubladora brasileira da Madonna nos filmes é a mesma que fazia a voz da Priscila

Há alguns momentos buonos nessa película como esse diálogo, que tenho quase certeza que foi escrito pelo Laerte:

Você está com a bola, o atacante vem em sua direção, o líbero adversário está marcando o seu centroavante, você faz um lançamento e… impedimento ou não?
– Não. O zagueiro tava atrás.
– O bandeirinha não viu! 
– Não interessa, o juiz tem a obrigação de ver!
– A torcida pediu impedimento!
– O juiz não pode se posicionar pela torcida!
– Você está esquecendo de uma coisa! 
– O quê?
– O juiz pode ser ladrão! – e borrifa gás no funcionário do museu.

A partir de 7:45:



Otro momento é quando o Marcelo Serrado delira e acredita que vai ser guilhotinado por ter deixado roubarem a estátua (lembrem-se de que é uno filme INFANTIL!)

Enfim, uno programa tão buono quanto TV Colosso merecia uno filme melhor do que esse. Faltou una direção melhor e uno trabalho melhor de interação entre bonecos e atores reais. Menção honrosa para os filhos dos Furtados (Zequinha do “Castelo Rá-Tim-Bum” e a Maluca do “TV Cruj”) que são de longe os melhores atores graças a sua espontaniedade, afinal, são crianças.


Cotação:
4/10 cabeças de cavalo – LARGA ISSO, RUBI!

Fontes: 
http://tv.i.uol.com.br/album/2012/09/26/marcelo-serrado-e-luana-piovani-em-cena-do-filme-super-colosso-1995-1348680188838_956x500.jpg
http://www.diariopb.com.br/wp-content/uploads/2011/06/Luiz-Thunderbird1.jpg
http://www.universohq.com/cinema/images/caramuru.jpg
http://ecx.images-amazon.com/images/I/41ltgtARunL._SL500_AA300_.jpg
http://playeraffinity.com/images/10-Black+Widow.jpg
http://img2-3.timeinc.net/ew/dynamic/imgs/021008/175331__girl_l.jpg

Quer ver quais os otros filmes para ver antes do mundo acabar? Clique aqui.

Advertisements