Terrorismo sempre foi um bom mote para o cinema norte-americano, mesmo antes do 11 de setembro. A diferença é que os filmes feitos pós Bin Ladensão considerados mais “sérios”, sendo que dois dirigidos pela mesma diretora foram indicado ao Oscar (“Guerra ao Terror”e “A Hora Mais Escura” de Kathrym Bigelow). Nos anos 80, esses filmes eram menos pretensiosos, mais inconseqüentes e por isso mais engraçados (involuntariamente na maioria das vezes). Esse é o caso de “Invasão U.S.A.”, que junto com “Comando Delta I e II”, “Os bons vestem negro” e a trilogia “Braddock” são certamente os maiores incentivadores dos chamados “Chuck Norris Facts”, que é o termo campeão nas buscas que vão dar neste blog (o segundo é “Ace Ventura” e seus derivados). E como esse blog precisa de mais audiência, vamos apelar (É DISSO QUE O MEU POVO GOSTA!)

Matt Hunter, personagem interpretado por Chuck Norris nesse filme, é certamente a mais perfeita encarnação dos “Chuck Norris Facts”. Os “Testes de Macho” do Facebook são coisa de fresco para ele. O ragazzo é tão macho que mora sozinho no meio do pântano, caçando jacarés e comendo churrasco de sapo no café da manhã. Na verdade Chuck Norris non caça os bichos. Ele os deixa tirar no palitinho quem é que vai escapar dele no dia.

Para encarar unoherói tão viril, o vilão precisa ser uno grande farabuttosem coração. Nesse caso, Mikhail Rostov, o russo interpretado por Richard Lynch, se encaixa no perfil. Logo na primeira cena ele mostra a que veio: Uno barco cheio de refugiados cubanos avista uno barco da Marinha Americana, na verdade uno falso barco, com Rostov vestido de capitão, que a princípio oferece abrigo aos imigrantes, mas antes que o primeiro cubano ponha o pé na embarcação todos são metralhados pelos falsos marinheiros (incluindo os bambini)
Em outro momento ele vai negociar com uno traficante de cocaína, interpretado pelo feioso Billy Drago, eterno vilão de filmes B de ação. A negociação toma uno rumo inesperado e Rostov dá unonovo sentido para a expressão “torrar o saco”.
Mas mesmo unovilão tão desgraçado quanto esse, tem pesadelos recorrentes com Chuck Norris. Uma vez Chuck teve a oportunidade de acabar com a raça dele, mas o governo non deixou e Rostov sabe que nonserá perdoado novamente. Por isso ele resolve se livrar de Matt Hunter antes que o contratem para atrapalhar seus planos.

Ele chega tarde, pois o governo já havia procurado Matt, mas ele se recusa a ajudar, ainda bronqueado por non terem-no deixado acabar com a raça de Rostov quando teve a oportunidade. Quando o grupo do russo chega ao pântano de Matt, tenta surpreendê-lo com uno tiro de bazuca no seu barraco, mas seu amigo índio-véio companheiro de caça de jacarés consegue avisá-lo a tempo e ele pula para fora de casa, mas seu amigo non tem a mesma sorte e acaba morto pelos terroristas. Agora o negócio ficou pessoal. Ninguém mata unoamigo de Chuck Norris e vive para contar história.

Acreditando que Matt foi morto durante o atentado, Rostov põe em prática o seu plano que é o de espalhar o caos pelas cidades americanas. Em uno subúrbio branco típico de filme americano, em que os vizinhos enfeitam as casas para o Natal, Rostov e uno comparsa simplesmente saem explodindo as casas com suas bazucas.
Em uma vizinhança latina em Miami, o plano é mais audacioso. Os terroristas se vestem de policiais e saem atirando a esmo, tomando o cuidado de deixar algunaspessoas vivas. Depois que eles saem e aparece “a polícia de verdade”, ela é recebida com paus e pedras pelos sobreviventes da chacina.

O próximo alvo dos terroristas é uno shopping center, que por ocasião do Natal, está abarrotado de gente. Uno terrorista, vestido como unocidadão comum americano chega ao meio do shopping e “esquece”una sacola de compras cheia de explosivos. Ainda bem que hoje em dia ninguém faz nada parecidOH WAIT!

Mas antes, aprendam como deve ser uno interrogatório:
O plano dos russos é frustrado, pois Chuck Norris, suas submetralhadoras e sua picape chegam a tempo para frustrar os planos dos terroristas e enchê-los de chumbo. Lembrando que Chuck Norris non destrói o shopping: as estruturas do local é que se abalam sozinhas com a sua simples presença.

Non seria exagero dizer que “Invasion U.S.A.” é uno desenho animado com atores reais. Lembra no desenho do Papa-Léguas quando o Coyote armava una bomba para deter o pássaro, a bomba não detonava quando devia e depois explode na cara dele? E se eu dissesse que há uno momento parecido nesse filme? Os terroristas tentam explodir una mala com explosivos na porta de una igreja, mas o negócio falha. Adivinha quem aparece atrás dos caras com a maleta deles na mão?

Otro momento “Looney Tunes” do filme é quando os terroristas “grudam” una bomba-relógio na lateral de uno ÔNIBUS-ESCOLAR e Chuck Norris com sua picape consegue pegar o artefato e grudar no carro dos vilões. Hilário!

O mais impressionante desse filme também é a capacidade dos terroristas de se infiltraem na polícia e também no exército americano. Da primeira vez que os terroristas de uniforme camuflado conseguem cercar Chuck, acabam levando a pior e uno deles entrega informações importantes sobre Rostov. Aliás Chuck Norris non força ninguém a falar nada. As pessoas é que perdem a fala diante do mestre e ele as ajuda a recuperar.


Da otra vez, eles tentam metralhar uno grupo de pessoas descontentes com o racionamento de alimentos (o governo americano decreta estado de sítio, o exército ocupa as ruas e os suprimentos são racionados), mas são impedidos por Chuck Norris, que aparece exatamente na hora certa e non tem receio de colocar a vida de uno refém em risco. Na verdade, Chuck Norris non aparece em cima da hora. Ele altera a rotação do planeta para sempre estar na hora certa no lugar certo.
Mas o melhor vem por último: O governo anuncia que Chuck Norris está sob custódia em uno prédio. Os terroristas invadem o prédio para encontrá-lo, mas ele non está em lugar nenhum. Quando percebem que caíram em una armadilha, tentam sair de lá, mas são cercados por tanques de guerra, jipes e helicópteros em una quantidade que faria inveja ao “Tio Sam” do episódio do Pica Pau em que ele é sequestrado pelo Capitão Blah 
Aí sim, Chuck Norris entra no prédio e manda uno monte de terroristas conhecer o Satanás mais cedo. Até quando acaba a munição dele ele dá um jeito de matar uno ragazzo atirando una FACA no sujeito. Na verdade a faca é que pediu para ser atirada por Chuck Norris.

E esse grande desenho animado que é “Invasion U.S.A.” se encerra com uno DUELO DE BAZUCAS entre Rostov e Matt Hunter. Tem como non amar?
Infelizmente, os filmes de hoje sobre terrorismo estão “sérios demais”. Nem os filmes da série “Mercenários” são suficientes para resgatar a inconsequencia dos anni 80. Só resta rezar para que ao menos alguno estúdio de animação, com todos os recursos que a animação proporciona, resolva criar alguna coisa tão violenta e descerebrada como esse filme.
Una análise mais aprofundada você pode ler aqui.

Invasion USA (1985, EUA)
Direção: Joseph Zito
Elenco: Chuck Norris, Richard Lynch, Melissa Prophet,
Alexander Zale, Alex Colon, Eddie Jones, Jon DeVries,
James O’Sullivan e Billy Drago.

Cotação

8/10 cabeças de cavalo – melhor que desativar bombas no Oriente Médio. 

Fontes:


Advertisements